Uma sistemática para a avaliação de riscos na implantação de produção enxuta

Giuliano Almeida Marodin, Tarcísio Abreu Saurin, Diego de Castro Fettermann

Resumo


A complexidade organizacional e técnica da implementação dos princípios e práticas enxutas pode tornar o processo em uma jornada demorada e não alcançar os benefícios esperados. O presente artigo argumenta que a avaliação de risco pode auxiliar na compreensão e gestão das principais dificuldades na implementação de Produção Enxuta (IPE), desta forma, aumentando as chances de sucesso dos processos. Uma sistemática para a avaliação de riscos no processo de IPE foi desenvolvida com base em uma revisão de literatura. Tal revisão permitiu adaptar as etapas de avaliação do risco às características da IPE e desenvolver procedimentos de coleta e análise de dados para cada etapa. A teoria de Sistemas Sociotécnicos (STS) foi usada para melhorar a compreensão das características do contexto na sistemática proposta, pois este influência fortemente na avaliação dos riscos e na IPE. A sistemática tem cinco etapas: (a) definição da unidade de análise, (b) descrever o contexto, (c) identificar os riscos; (d) analisar os riscos; e (e) modelar as relações entre os riscos. As limitações e peculiaridades da sistemática de avaliação de riscos na IPE são discutidas nas conclusões.


Palavras-chave


Produção Enxuta. Análise de Riscos. Avaliação de riscos.

Texto completo:

ARTIGO ♪ÁUDIO♪


DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v14.i1.1667

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com