Sequenciamento da produção: uma proposta para o sistema make to order

Vanessa Ribeiro, Nelly H. Marques Cordeiro

Resumo


Um dos objetivos do sequenciamento da produção é a movimentação sincronizada de insumos dentro de um processo produtivo de maneira rápida e ordenada nos recursos disponíveis, visando o processamento de pedidos para atender a demanda do mercado. Diante disso, a presente pesquisa pretende apresentar uma proposta de sequenciamento dos subprodutos que compõe o produto produzido por uma indústria de equipamentos médicos, ao passo que seu sistema de manufatura é classificado como job shop com capacidade finita em um ambiente make to order. A proposta será desenvolvida por meio da análise e caracterização dos processos produtivos; levantamento das restrições; identificação das prioridades da organização, realização da cronoanálise dos subprodutos; e apresentação dos resultados obtidos por uma regra de sequenciamento utilizando o método gráfico de Gantt.  Em relação aos procedimentos metodológicos de pesquisa, a abordagem utilizada foi a combinada de triangulação, quanto à sua finalidade é caracterizada como pesquisa aplicada, em relação aos seus objetivos é considerada descritiva, segundo os procedimentos utilizados é classificada como bibliográfica e pesquisa-ação. O resultado obtido foi o sequenciamento dos subprodutos por meio da regra menor tempo de processamento (MTP). As limitações da pesquisa estão relacionadas a escassez de um histórico de informações sobre os resultados da empresa.

Palavras-chave


Sequenciamento da produção. Job shop. Make to order. Sistemas com capacidade finita. Gráfico de Gantt.

Texto completo:

PDF ♪ÁUDIO♪

Referências


CONFORTO, E. C.; AMARAL, D. C.; SILVA, S. L. Roteiro para revisão bibliográfica sistemática: aplicação no desenvolvimento de produtos e gerenciamento de projetos. CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO, 8., 2011. [Anais...]. Porto Alegre, 2011.

CHUNG-HSING, Y. A customer-focused planning approach to make-to-order production., Industrial Management & Data Systems, v. 100, p. 180 – 187, 2000. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/02635570010328693/full/html. Acesso em: 28 ago. 2019. https://doi.org/10.1108/02635570010328693

FATTAHI, P.; MEHRABAD, M. S.; JOLAI, F. Mathematical modeling and heuristic approaches to flexible job shop scheduling problems. Journal of Intelligent Manufacturing, v. 18, n. 3, p. 331- 342, 2007. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10845-007-0026-8. Acesso em: 29 ago. 2019. https://doi.org/10.1007/s10845-007-0026-8

FERNANDES, R. O. P. Estudo de sequenciamento da produção em uma indústria de meias. 2006. Disponível em: http://www.ufjf.br/engenhariadeproducao/files/2014/09/2005_3_Rafael.pdf. Acesso em: 16 set. 2019.

GAITHER, Norman; FRAZIER, Greg. Administração da produção e operações. 8. ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002.

GIL, A. C;. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002. 176 p.

GOLDRATT, E. M.; FOX, R. E. A corrida pela vantagem competitiva. São Paulo: Pioneira, 1989.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1992. 212 p.

LUSTOSA, L.; MESQUITA, M. A.; QUELHAS, O.; OLIVEIRA, R. Planejamento e controle da produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 357 p.

MIGUEL, P. A. C.; FLEURY, A.; MELLO, C. H. P.; NAKANO, D. N.; LIMA, E. P.; TURRIONI, J. B.; HO, L. L.; MORABITO, R.; MARTINS, R. A.; SOUSA, R.; COSTA, S. E. G.; PUREZA, V. Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2018. 265 p.

MOREIRA, D. A. Administração da produção e operações. 2. ed. rev. São Paulo: Cengage Learning, 2011. 624 p.

NOVAS, J. M. Production scheduling and lot streaming at flexible job-shops environments using constraint programming. Computers & Industrial Engineering , [s. l.], v. 136, p. 252-264, 2019. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0360835219304036?via%3Dihub#!. Acesso em: 7 out. 2019. https://doi.org/10.1016/j.cie.2019.07.011

PHANDEN, R. K.; JAIN, A.; VERMA, R. A genetic algorithm-based approach for job shop scheduling. Journal of Manufacturing Technology, v. 23, p. 937-946, 2012. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/17410381211267745/full/html. Acesso em: 12 set. 2019. https://doi.org/10.1108/17410381211267745

PARANHOS, R.; FILHO, D. B. F.; ROCHA, E. C.; JÚNIOR, J. A. S.; FREITAS, D. Uma introdução aos métodos mistos. Sociologias, Porto Alegre, p. 384 - 411, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/soc/v18n42/1517-4522-soc-18-42-00384.pdf. Acesso em: 20 set. 2019. https://doi.org/10.1590/15174522-018004221

PINEDO, M. L. Scheduling: theory, algorithms, ans systems. 3. ed. New York: Springer, 2008. 696 p.

PIRES, S. R. I. Gestão da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management): conceitos, estratégias, práticas e casos. São Paulo: Atlas, 2004.

ROSS, P.; HART, E.; CORNE, D. Evolutionary scheduling: a review. Genetic Programming and Evolvable Machines, v. 6, n. 2, p. 191-220, 2005. https://doi.org/10.1007/s10710-005-7580-7

RUSSOMANO, V. H. Planejamento e controle da produção. 6. ed. rev. São Paulo: Pioneira, 2000.

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da produção. 3. ed. rev. São Paulo: Atlas S. A., 2009. 703 p.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina/ UFSC, 2015. 139 p.

TUBINO, D. F. Planejamento e controle da produção: Teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009. 190 p.

ZANELLA, L. C. H. Metodologia de pesquisa. 2. ed. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC, 2013. 134 p.




DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v20i2.3863

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com